CIPÓ-IMBÉ

CIPÓ-IMBÉ

CIPÓ-IMBÉ
(Philodendron bipinnatifidum).
 
 
FAMÍLIA: Aráceas.
 
OUTROS NOMES: Bananeira-imbé, ambé, uambé, uambé-curua, tracuá, curuba.
 
DESCRIÇÃO: Planta epífita, cujo tronco nodoso chega até 2 metros de altura, e alcança a espessura de um braço humano bem desenvolvido, soltando raízes adventícias, pelas quais se prende aos seus sustentáculos (árvores ou rochas).
O caule termina numa frondosa copa folhear, que leva esta planta a ser classificada entre as mais belas plantas ornamentais. Suas enormes folhas longipecioladas penatífidas, ovais no ápice e sagitiformes na base, cujo limbo mede até 80 cm de comprimento, formam um grande tufo arredondado, que esconde completamente o tronco enquanto este é ainda baixo.
As raízes adventícias, compridas, delgadas e resistentes, são usadas para fabricação de cordas.
 
USO MEDICINAL: O cozimento das folhas frescas e cascas do caule é recomendado, em banhos, nos seguintes casos: erisipela, inflamações reumáticas, orquite.
O mesmo cozimento, em dose mais fraca (10 gramas para 1 litro de água), usa-se na hidropisia, tomando-se várias xícaras ao dia.
As folhas frescas, amassadas, aplicam-se sobre úlceras.
 
PARTE USADA: Folhas e cascas. 

Programa Saúde Total

Levando informações aos ouvintes sobre saúde e qualidade de vida, valorizando os benefícios da natureza: ar puro, atividade física, água, luz solar, alimentação, repouso, abstinência e muito mais.